Google
 

domingo, 29 de abril de 2007

Juvenis - Distrital - 1ª Divisão - Série 2

União Mercês 1 - 1 Operário

Do blog não oficial da União das Mercês
(http://uniaomerces.blogs.sapo.pt/)

UNIÃO MERCÊS:
76- Castor
4- Candé
3- Tiago Dores
26- Ricardo Faial
2- Rubén
5- Ricardo Pegado
8- Semedo
17- Varela
7- Tiaguinho
11- Meireles
21- Ji
Substituições:
21- Ji por 61- Bison aos 59 minutos
7- Tiaguinho por 15- Bruno aos 66 minutos
Cartões Amarelos: Nada a assinalar

Primeira parte completamente dominada pelas Mercês que chegaram ao intervalo a ganhar apenas por 1-0, um golo marcado por Semedo num livre directo muito bem executado. No minuto seguinte Castor evitou um empate com uma excelente defesa. O guarda redes fez uma boa exibição depois de ter estado ontem à tarde em grande no jogo dos Juniores. Enquanto houve pulmão a União dominou o meio campo e o jogo. Na segunda parte aos 16 minutos o Operário empatou numa jogada de insistência. Mas as Mercês ainda reagiram com destaque para a bola que foi à barra saída dos pés de Meireles. Nos últimos 15 minutos o treinador da União tentou resolver o jogo colocando Candé, um dos melhores em campo, a extremo esquerdo, ele que começou a lateral esquerdo. Ji muito massacrado acabaria por sair lesionado entrando Bison que nunca incomodou os adversários como Ji mas foi muito forçado. Nos últimos minutos a União ainda desfrutou de algumas oportunidades mas usando mais o coração que a cabeça. Resultado algo injusto. A União merecia sair com a vitória. Arbitragem regular com alguns erros que favoreceram quase sempre os visitantes mas sem influência no marcador.

sábado, 28 de abril de 2007

Juniores - Distrital - 1ª Divisão - Série 2

União Mercês 8 - 0 Unidos

Do blog não oficial da União das Mercês (http://uniaomerces.blogs.sapo.pt/)

UNIÃO MERCÊS:
1- Castor
13- Paulino
30- Gonçalo Fachina
16- Daniel
5- Serra
69- Parente
14- André
11- Góis
7- Djálo
18- António
6- David Rijo

Substituições:
30- Gonçalo Fachina por 17- Bruno aos 35 minutos
14- André por 8- Nuno Santos no inicio da segunda parte
6- David Rijo por 25- Adérito aos 76 minutos
Cartões Amarelos: André, Daniel e David Rijo

Em dia de goleadas da parte da manhã, nada como continuar à tarde. Os Juniores bateram o record da época e ficaram com o segundo melhor resultado do campeonato. O record é do Domingos Sávio que bateu esta equipa dos Unidos por 10-0 e esta marca de hoje igualou o Mem Martins que tinha ganho por 8-0 à mesma equipa. Unidos que já sofreram 113 golos nesta época.
Foi um jogo sem grande história com sentido único. Resume-se os 90 minutos aos golos marcados e aos falhados que ainda foram bastantes. O guarda Redes Castor, que actuará amanha pelos Juvenis que é o seu escalão, teve pouco que fazer. Duas boas intervenções na primeira parte e pouco mais. O jogo começou com o primeiro golo de autoria de Djálo . A primeira parte foi fraquinha, não tendo grandes momentos de interesse. A bola passou bastante tempo na zona do meio campo e fora do campo. O segundo golo apareceu mesmo a terminar a primeira parte. Marcou Bruno que aos 35 minutos entrou para o lugar de Gonçalo Fachina que estava a fazer um bom jogo mas lesionou-se num lance na grande área adversária, num choque com um defesa visitante.
Ao intervalo, o treinador Ricardo deixou ficar André no balneário fazendo entrar para o seu lugar Nuno Santos. André esteve mal na primeira parte e ainda viu um amarelo por meter a mão na bola.
Aos 11 minutos do segundo tempo, na marcação de um livre directo, Serra fez o 3-0. Um livre muito bem apontado. Aos 22 minutos, Bruno sozinho não consegue bater o guardião adversário. Ele sofreu 8 golos mas evitou mais alguns. Aos 28 minutos novo golo de Djálo a aproveitar mais uma falha defensiva dos Unidos. A equipa mostrou sempre grande fragilidade tanto a defender como a atacar, mostrando em campo porque vai descer de divisão. Aos 29 minutos David Rijo viu o habitual amarelo por protestos. David passou um pouco ao lado do jogo mas foi obrigado a jogar como extremo onde não se sente muito à vontade. Aos 31 minutos, mais um lance confuso na área dos Unidos e Bruno a forçar um auto golo de um defesa adversário. David Rijo sairia nessa altura para dar lugar a Adérito. Aos 36 minutos António isolado não perdoa e faz o 6-0. 7-0 no minuto seguinte por Paulino num remate cruzado do lado direito. Esse golo originou o abandono do jogo por parte do número 5 dos Unidos que protagonizou um facto insólito. Paulino bisou aos 45 minutos e Nuno Santos em período de descontos falha o que parecia ser um golo fácil. Ele que já tinha falhado no decorrer da segunda parte outro lance em que apareceu isolado. Resultado sem contestação tal a diferença entre as duas equipas. Arbitragem razoável , mas com alguns foras de jogo mal tirados na primeira parte, sempre no ataque das Mercês. Este foi o último jogo dos Juniores no Municipal da Tapada, sendo a despedida da prova na próxima semana no Bairro da Boavista frente ao Domingos Sávio .

Crise no Cacém

Por Nuno Gaspar


"Temos Fumo Branco, pois todos do Atlético Clube do Cacém são grandes profissionais e grandes Homens, obrigado pela compreensão sabendo de antemão que em particular todos os profissionais do Clube (mesmo todos) são SEIS ESTRELAS, pela dedicação e esforço diário que têm de despender. Força, nós nunca deixaremos o nosso Atlético morrer, Viva o Cacém !!!."

Fernando Lopes: "O Atlético do Cacém tem 1 mês e 27 dias de atraso em pagamentos aos jogadores da equipa A, não escondo que existam algum problemas financeiros", porém garantiu que todas as dívidas serão saldadas até 31 de Maio.


Infantis - Distrital - 2ª Fase - Série 2

União Mercês 7 - 1 Loures

Do blog não oficial da União das Mercês (http://uniaomerces.blogs.sapo.pt/)


UNIÃO MERCÊS: 1- Miguel; 2- Mauro; 3- Igor; 5- Ismael; 6- João Paulo; 7- Miguel; 8- Buba; 4- Alexandre; 9- Anderson; 10- Henrique

Última partida da segunda fase do Distrital de Infantis e com uma bela despedida dos nossos putos. O Loures último classificado, foi goleado no Municipal da Tapada das Mercês e o resultado só ficou nos 7-1 porque o guarda redes do Loures foi o melhor em campo daquela equipa.
O putos das Mercês entraram decididos a resolver o jogo cedo. E não surpreendeu que o primeiro golo surgisse aos 6 minutos por Ismael. Aos 14 Igor ampliava a vantagem. Nos últimos 10 minutos assistimos a uma ténue reacção do Loures, mas pouco incomodaram o nosso guarda-redes Miguel.
Na segunda parte a União entrou a todo o gás e com Alexandre em campo o desequilíbrio existente entre as duas equipas ficou bem vincado. Aos 7 minutos começou a show Alexandre, que marcaria o primeiro golo. Na primeira parte, os jogadores das Mercês jogavam muito individualmente. Apenas desse modo resultaria o golo de Igor. Mas na segunda parte o colectivo marcou a diferença. E os golos foram aparecendo com naturalidade. Aos 12 minutos Alex bisava e aos 16 Miguel aumentava para 5-0. Aos 21 Alexandre fazia o hat-trick e no minuto seguinte 7-0 pelo mesmo Alexandre que faria o seu 4º golo saindo em seguida. A equipa do Loures continuava sem incomodar. Henrique que entrou bem no jogo atiraria ao poste aos 29 minutos, num lance que merecia o golo. O guarda redes do Loures na primeira parte tinha evitado vários golos mas na segunda parte mesmo sofrendo 5 golos, evitou outros tantos. Henrique acabaria por ser infeliz nos últimos segundos do jogo ao fazer falta na grande área. O Loures marcaria o golo sem qualquer hipótese para Miguel. E o jogo terminava logo a seguir. Resultado justíssimo e boa arbitragem.

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Crise no Cacém

Os problemas no Atlético do Cacém estão longe de estar resolvidos. Vamos continuar a acompanhar esta situação e esperar que tudo se componha. Os jogadores do histórico clube recusam-se a treinar desde Terça-Feira, contudo as equipas vão jogar no próximo fim de semana.

Agenda 01 de Maio

FUTEBOL 11
JUVENIS
2ª Fase - Jornada 10 (Última)
Série 1
(01/05) 10:30 Agualva - Trajouce
Série 2
(01/05) 10:30 Mucifalense - Coutada
Série 3
(01/05) 10:30 Algueirão - Bobadelense
(01/05) 10:30 Rio de Mouro - Sanjoanense


INICIADOS
Torneio Extraordinário Equipas Nacionais
Jornada 6
(01/05) 09:00 Odivelas - Real

1ª Divisão - Série 2
Jornada 26 (Última)
(01/05) 10:00 União Mercês - Estrela da Amadora B

2ª Divisão - 2ª Fase
Jornada 10 (Última)
Série 1
(01/05) 10:30 Pêro Pinheiro - Domingos Sávio
Série 2
(01/05) 10:30 Arrudense - Sintrense
Série 3
(01/05) 10:30 Cascais - Mucifalense


INFANTIS

2ª Fase B - Série 5
Jornada 3
(01/05) 15:00 Rio de Mouro - Damaiense


FUTEBOL 7
INFANTIS

2ª Fase B - Série 3
Jornada 9
(01/05) 09:00 Mucifalense - Rio de Mouro


ESCOLAS B
2ª Fase B - Série 3
Jornada 10
(01/05) 11:30 Estoril - Mem Martins


FUTSAL
JUNIORES

2ª Divisão - Série 2
Jornada 19
(01/05) 16:30 Marista Lisboa - MTBA


FUTSAL Feminino
SENIORES

2ª Divisão - Apuramento Campeão
Série 1 - Jornada 2
(01/05) 19:00 Novos Talentos - Zambujeiro Serra Calvo

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Sintrense - Escalões de Formação

Noticia retirada do site do Sintrense:

O Sport União Sintrense apresentou este mês aos sócios, um novo coordenador para o futebol de formação. Álvaro Adílio Câmara vem substituir o antigo coordenador, Sérgio Camacho, numa das primeiras mudanças estruturais da nova direcção do clube, que assumiu funções em Novembro do ano passado.
Veríssimo Reis, Vice-presidente do Sintrense para esta área, aponta como principal objectivo para o sector da formação “a reestruturação de todo o departamento de futebol jovem, de forma a tornar os escalões mais competitivos, potenciando e melhorando a qualidade dos praticantes”.
O novo coordenador, que já está ao serviço do clube, tem 26 anos e conta com uma experiência considerável na formação de jovens atletas. Passou, entre outros clubes, pelo União da Madeira e nos últimos três anos esteve no comando da escola de futebol do Atlético Clube de Portugal. Tendo já trabalhado como treinador em todos os escalões etários do futebol jovem, Adílio Câmara possui o nível B/UEFA do Curso de Treinadores e estará nas próximas duas épocas à frente do departamento jovem do Sintrense

Cacém com ordenados em atraso

A noticia caiu como uma bomba. O Jornal "A Bola" noticiava hoje que há ordenados em atraso no Atlético do Cacém. O nosso colaborador Nuno Sinosgas ligados ao clube mandaram-nos o seguinte:

"Ouvi uns" zuns zuns" na bancada de sócios sobre ordenados em atraso aos nossos jogadores, como a direcção presidida pelo Sr. Fernando Lopes sempre deu provas de credibilidade, acreditei que seria ou uma situação passageira ou bocas da reacção tão usuais na nossa sociedade. Mas pelo tornado público hoje pelo diário "A Bola", a situação é real e grave.
Segundo informações do referido jornal, os jogadores e outros elementos assalariados do Cacém não recebem há 3 meses os seus merecidos ordenados, pois têm sido sempre abnegados e profissionais na defesa da camisola que vestem. Segundo o mesmo jornal está agendada para hoje uma reunião entre o presidente e o plantel.

Eu como simples sócio e apoiante do Cacém venho por este meio apelar à direcção que resolva a situação o mais breve possível, igualmente faço um apelo ás forças vivas do clube e da cidade que apoiem hoje mais do que nunca o clube mais representativo da mesma.

E por último mas sempre para mim os primeiros, faço um apelo aos jogadores que defendam no próximo Domingo a nossa camisola, como sempre fizeram. Com garra, dedicação e vontade, e podem ter a certeza que lá estarei para vos apoiar e percam ou ganhem sempre terão de mim um merecido aplauso.

Não foi ainda possível recolher a opinião do presidente Fernando Lopes ou de alguém da direcção, mal seja possível actualizaremos a informação."


Entretanto Nuno Sinosgas e Nuno Gaspar escreveram um comunicado no Blog do Atlético do Cacém que será entregue ao capitão da equipa e que passamos a transcrever:

"Sou sócio do Atlético do Cacém desde os meus 17 anos, quando optei por ajudar o clube da minha terra em detrimento do outro meu clube, o grande S. L. Benfica.
Passados 16 anos pensava eu que o clube estaria a caminho de um percurso sem mácula e cedimentado financeiramente, estável nos nacionais sem aventurar-se em caminhos da desgraça como subidas de divisão e participar em universos financeiros ainda não seus.

Qual é o meu espanto que os zuns zuns ouvidos em alguns jogos afinal eram bem reais.
O meu/nosso Atlético do Cacém não paga desde Dezembro aos seus jogadores e restantes funcionários.
Assistindo a quase todos, senão todos os jogos do meu clube no qual tenho um lugar cativo e estando sempre lá aos Domingos a tarde, em detrimento do meu filho e esposa para apoiar aqueles bravos que tão bem tem dignificado a camisola do nosso clube é com mágoa que estas linhas escrevo.
Não tendo até ao momento nenhuma explicação oficial sobre o que se sucede e ainda acreditando que tudo se resolverá e que esta recentemente empossada direcção continue a dignificar o bom nome do Cacém e respeite os nossos jogadores, os quais merecem todo o meu respeito pelo excelente campeonato que tem efectuado apesar de todos os condicionalismos.

Para eles (os jogadores) aqueles que treinam diariamente sobre as mais diversas condições climatéricas e afins, apenas (e porque não posso nada mais fazer) vai o seguinte apelo, eu como outros, aqueles que gritam por vós, que vibram com os vossos golos, estão convosco nesta hora difícil e Domingo lá estaremos para vos aplaudir de pé, pois os grandes homens que vocês são merecem ser tratados como verdadeiros heróis.

Bem hajam e força rapazes estamos com vocês seja qual for a vossa decisão."

O Fórum SintraSport está disponível para se discutir este tema.

Futsal - RRM só falta um ponto

Só falta um ponto ao Rio de Mouro para chegar à 2ª Divisão. Sábado na Serra das Minas é a grande final do campeonato entre o Rio de Mouro e o Externato da Benedita. Ontem o RRM bateu o Atlético na Tapadinha por 3-0, enquanto a equipa da Benedita bateu em casa o despromovido Nadadouro por 8-4. Como o RRM venceu na Benedita, basta um empate para subir. No próximo Sábado espera-se um grande número de adeptos do RRM no Pavilhão da Serra das Minas para apoiarem a sua equipa no jogo decisivo.

Juniores do Real em 6º

A equipa de Juniores do Real terminou a primeira fase do Nacional de Juniores, 1ª Divisão - Zona Sul, na 6ª posição após bater ontem o Nacional da Madeira no Monte Abraão por 4-0. Foram qualificados para a segunda fase o Sporting e o Benfica e desceram à 2ª Divisão, Vitória de Setúbal, Pescadores da Costa da Caparica, Alverca e Portimonense.

Técnico do Real se subir sai

Jorge Paixão, treinador do Real, disse ao Jornal "Record" que abandonará o clube de Massamá em caso de ser conseguída a desejada subida. Os motivos é que os objectivos passariam por levar o Real ao principal campeonato Português e que a Direcção do clube, a mais excepcional que encontrou na sua carreira, não está ainda preparada para isso. Em entrevista publicada na edição de hoje, Paixão diz que não de ser comparado com Mourinho, admirando muito mais Jorge Jesus que ganha com menos condições. A equipa do Real teve esta época (apenas) 152 mil euros de Orçamento contra por exemplo os 450 mil do rival Louletano. Jorge Paixão frequenta o IV nível do curso de treinadores e quer treinar um clube da BWin Liga muito em breve.

terça-feira, 24 de abril de 2007

I Torneio SintraFoot

A Escola de Futebol Carlos Manguito organiza amanhã dia 25 de Abril, o I Torneio SintraFoot.
A competição vai desenrolar-se entre as 14 e as 18 horas, nos sintéticos do MyIndoor Cascais, no Linhó, envolvendo cerca de 150 jovens futebolistas, com idades entre os seis e os nove anos, distribuídos por sete equipas.
Para além das Escolas Carlos Manguito, participam as equipas do Benfica, do Estoril, e as escolas de futebol Mr.Foot, Football Funatics, Geração do Futuro, e “Os Tuguinhas”.

Distritais - Seniores

No Futebol, na Divisão de Honra, o Pêro Pinheiro garantiu a manutenção a 4 jornada do final, ao vencer na Encarnação por 1-0. Os Montelavarenses perderam em casa com o Fanhões por 0-1 mas tem a manutenção praticamente assegurada. Ainda na mesma Divisão de Honra, o Igreja Nova está perto de fazer a estreia na 3ª Divisão, enquanto Odivelas B regressará à 1ª Divisão, fazendo-se acompanhar por Vilafranquense que tem novo descida, depois de cair desde a 2ª Divisão Nacional. Na 1ª Divisão, na Série 1, o Mucifalense, foi goleado na Lourinhã por 6-2. O Tojal tem assegurada a subida. Na Série 2, os B´s do Cacém tropeçaram em casa com o Fontainhas como contou neste blog o nosso colaborador Nuno Gaspar. Na próxima jornada visitam o Câmara e em caso de vitória passam para a segunda posição. O Mem Martins travou o candidato à subida Câmara, na Quinta do Recanto com empate a zero. O Agualva bateu o Porto Salvo por 1-0 e garantiu a manutenção. O Musgueira está com um pé na Divisão de Honra. Na 2ª Divisão, Série 2, o Anços voltou a perder, desta feita no Jeromelo por 3-0. Na Série 3, o Albarraque foi derrotado pelo líder Unidos por 3-1 no campo deste, também fora, o Algueirão perdeu com o segundo classificado, o Talaíde, por 1-0 e o MTBA voltou a pontuar, ao empatar no Magoito com o Cascais com 4 golos para cada lado.
No Futsal, na Divisão de Honra, os Unidos do Cacém hipotecaram de vez a subida, ao empatar em Unhós. Os Onze Unidos vão ser concerteza os campeões de Lisboa. Na 1ª Divisão, Série 2, o JOMA perdeu com o Calhariz de Benfica por 4-2 e o Vila Saloia ficou condenado à descida, faltando só confirmar matematicamente, após a derrota caseira por 2-3 com o Leceia. Finalmente na 2ª Divisão, a Atlético do Cacém iniciou da pior forma a 2ª Fase, cujo objectivo é a subida de divisão, ao perder na Escola Gama Barros com o Manjoeira por 1-2.

Novas Tabelas LMO

Foram adicionadas novas tabelas no menu LMO. A da Taça Nacional de Juvenis em Futsal com a presença dos Novos Talentos e a Série 1 da 2ª Divisão em Futebol, que apesar de não ter a presença de nenhuma equipa do nosso concelho, pensamos que tem importância a sua publicação. Na próxima época o objectivo é termos as tabelas de todas as provas da AFL em Futebol para alargarmos o nosso blog a todo o Distrito de Lisboa, apesar de continuarmos a dar especial atenção às equipas de Sintra. Entretanto vão participando no nosso Fórum. Pedimos a jogadores, treinadores, dirigentes, adeptos, toda a gente para participar no Fórum, colocando resultados e noticias de todas as equipas, não só de Sintra, como dos Distritais de Lisboa em todos os escalões.

Seniores - Nacional - 3ª Divisão - Série E

Sintrense 2 - 1 Câmara de Lobos

Texto: Jorge Cardoso e Nuno Silvestre

ESTÁDIO DO SPORT UNIÃO SINTRENSE

Árbitro: Eugénio Arez

Assistentes: Ricardo Glória e Carlos Cabral

CA AF ALGARVE

SINTRENSE: Paulo (cap), Diogo Almeida ( André Anastácio aos 90+2), Wilson, Angel, Barroso, Paulino, Pedro Nunes, Miguel Ângelo (Maquemba aos 65m), Daniel, Paulo Vieira e Zeca.

Suplentes não utilizados: Crespo, Rúben Jorge,Rui Barroso e Nicol

Disciplina: Cartões amarelos: Angel 45m, Daniel 51m, Wilson 70, Diogo Almeida 76m.

Técnico: Manuel Pedro Gomes

Técnico-Adjunto: António Marques

Massagista: Alcides Rosalino

Delegado: João Serra de Almeida

GOLOS: Angel (5m), Pedro Nunes (8m)

CÂMARA DE LOBOS: Paiva, Kikas, Ruben, Hélder (cap), China, Miguel, Hernâni (Baré aos 16m), Da Silva, Pedro ( Fabrião aos 15m), Gonçalo e Sandro ( Marcelo aos 37m).

Suplentes não utilizados: Ricardo e Nuno

Disciplina: Cartões amarelos: Miguel aos 25m e Ruben aos 90+2m

Técnico: Robert Silva.

Golos: Kikas aos 66m

Ao vencer o Câmara de Lobos, o Sintrense deu mais um passo rumo à tranquilidade tão desejada pelos seus adeptos. Com um começo de partida muito forte e pressionante, o Sintrense conseguiu levar a água ao seu moinho ao marcar dois golos em três minutos, deixando a equipa madeirense atordoada com a avalanche do ataque sintrense. Em dois cantos, Angel e Pedro Nunes não perdoaram na área de rigor, perante o desamparado Paiva que nada conseguiu fazer perante as entradas dos dois jogadores da casa.

Nos minutos que se seguíram, o Sintrense continuou a mandar no jogo, a criar espaços ofensivos e a levar o perigo constante à baliza madeirense. Algumas oportunidades falhadas poderiam ter dado um colorido diferente à partida, onde na primeira meia hora, o Sintrense teve ensejo de visar por mais vezes a baliza de Paiva.
O Sintrense, e como já se disse, entrou muito forte e em velocidade, trocando muito bem a bola e com movimentações rápidas para o ataque. A defensiva madeirense viu-se em palpos de aranha para suster esta pressão, não acertando nas marcações, abrindo espaços a meio campo, aproveitados da melhor maneira pelos pupilos de Pedro Gomes. Na primeira meia hora, e para além dos dois golos, o Sintrense ficou a dever a si próprio outros dois tentos, que poderiam desde logo ter sentenciado a partida, fruto de uma excelente prestação em campo, de uma entrega total à partida. A equipa madeirense, e na primeira meia hora, raras vezes se aventurou para perto da grande área defendida de Paulo, com o mérito a pertencer às marcações cerradas a meio campo e no fecho dos corredores por parte dos homens da casa, não deixando funcionar o ponto mais forte do Câmara de Lobos, precisamente os dois alas - Da Silva e Sandro- conhecidos pela sua velocidade, pela precisão de passe e pela perigosidade dos seus cruzamentos para a àrea adversária. Neste aspecto, tanto Diogo Almeida, como Angel e Barroso, eram autênticas carraças, não deixando a equipa madeirense explorar este ponto forte. Também Miguel Ângelo, com papel preponderante no meio campo e com um imenso fôlego, complicou e de que maneira, as tentativas da equipa madeirense sair para o contra ataque. Depois da lesão, Miguel Ângelo a mostrar que está de volta aos seus melhores momentos, o mesmo acontecendo com Paulo Vieira. No sector recuado, Pedro Nunes, Daniel e Wilson iam chegando para as encomendas, muito certinhos no jogo aéreo e nas marcações, não dando veleidades aos atacantes contrários, com Pedro Nunes a aventurar-se como sempre para a área contrária nos lances de bola parada, marcando até o segundo golo numa dessas incursões à área de Paiva. Lá na frente, Zeca a Paulino, iam metendo respeito à defensiva do Câmara de Lobos, que deixava sempre três e quatro homens mais recuados para o que desse e viesse, criando os tais necessários desequilíbrios a meio campo a favor do Sintrense. Os dois golos madrugadores do Sintrense, deixaram o técnico Robert à beira de uma ataque de nervos, que aos 15 e 16 minutos já mexia na sua equipa, tentando dar a volta ao rumo dos acontecimentos, pois se não o fizesse, estava sujeito a uma pesada derrota. Abriu mais a frente de ataque, com os dois pontas, Beré e Fabrião, e deixando que Da Silva se adiantasse mais no terreno de jogo. Se bem que até à meia hora, nada resultasse dessas opções, o Câmara de Lobos melhorou o seu jogo e nos últimos quinze minutos da primeira parte , conseguiu equilibrar a luta a meio campo e no acertar de agulhas às marcações e pressão sobre o adversário. Aos 40 minutos, Paulo salva uma bola mesmo em cima da linha de golo, e no minuto seguinte, fez outra grande defesa para canto. Era o aviso da equipa madeirense para a segunda parte, dizendo claramente que o marcador ainda não estava decidido. De um possível 3-0 ou 4-0 e o descanso na partida, o Sintrense esteve mesmo à beira de sofrer o golo da equipa visitante, fazendo lembrar o jogo de domingo no Cacém. Felizmente para os da casa, que tal não aconteceu.
Com 2-0 ao intervalo, ninguém estava ainda tranquilo nas bancadas , hoje mais despidas de público do que o habitual, talvez devido ao intenso calor que se fazia sentir.
Como se previa o Câmara de Lobos veio mais forte para a segunda parte, e se bem que o Sintrense até poderia ter chegado ao 3-0 logo nos primeiros instantes da partida, com dois bons remates de Diogo Almeida e de Paulo Vieira, que não passaram muito longe da baliza de Paiva, foi a equipa madeirense que se começou a assenhorear da baliza de Paulo, fruto de uma maior rapidez sobre a bola e com lançamentos ofensivos para as costas da defensiva sintrense. Foi num desses lances, beneficiando também de uma recarga, que as 66 minutos Kikas faz o 1-2. Com quase meia hora para jogar, temeu-se o pior para o Sintrense, e embora os minutos seguintes fossem de assédio madeirense, veio ao de cima a vontade férrea da equipa sintrense vencer esta partida. Lutou, correu, entre ajudou-se com muito espírito de sacrifício e conseguiu levar a bom porto os seus intentos, vencendo este importante desafio, somando mais três pontos e distanciando-se dos lugares da despromoção. No final da contenda, foram bem merecidos os aplausos recebidos da bancada, reconhecendo à equipa a forte entrega e a vontade enorme de querer vencer, contrariando os azares que aconteceram no Cacém, onde depois de estar a vencer por 2-0 e 3-2, viu o adversário chegar ao empate. Uma vitória justa do Sintrense perante uma equipa do Câmara de Lobos que demorou muito tempo a perceber o que lhe tinha acontecido na primeira parte.
Quanto à arbitragem de Eugénio Arez e seus assistentes, estiveram ao melhor nível, sem casos e sempre em cima dos lances mais difíceis de ajuizar.

domingo, 22 de abril de 2007

Será que ninguém quer subir?

Na Série D da 2ª Divisão Nacional (Futebol), foi uma jornada de resultados esquisitos em que, entre os candidatos ao Playoff, o único que venceu foi o Odivelas. O Real somou o quarto empate consecutivo, desta feita em casa com o Torreense a zero. O Real viu-se assim alcançado pelo Odivelas na primeira posição. A formação de Massamá tem vantagem sobre o Odivelas em caso de empate e continua a depender de sim após a ante-penúltima jornada que ficou marcada pela derrota caseira do Atlético e pelo empate, também em casa do Louletano. O Real recebe na próxima jornada o Messinense.

Seniores - Distrital - 1ª Divisão - Série 2

Cacém B 3 - 3 Fontainhas B

Texto e foto: Nuno Gaspar
http://accacem.planetaclix.pt




CAMPO JOAQUIM VIEIRA nº1, CACÉM

Árbitro: João Pinto

Assistentes: Hugo Proença e Orlando Rodrigues

CACÉM B: 1- Neno, 2- Moutinho, 3- Sapo, 4- Sérgio Cecílio, 5- Rui Arroja, 6- João Silva, 7- Balão, 8- Matias (Cap), 9- Ivan, 10- Hugo Dias, 11- Mendes

Numa tarde de muito calor, em que Rui Arroja regressou ao complexo Joaquim Vieira depois de Valido o ter dispensado da equipa A, as equipas entraram em campo com muitas reservas, pois estão em fase decisiva no campeonato, por isso só aos 9 minutos existiu um lance de perigo pela equipa forasteira que o nosso Guarda Redes Neno defendeu para canto. Na sequência deste a equipa das Fontainhas de Cascais levou a bola ao poste, mas na ressaca o seu avançado atrapalhou-se com a bola e de baliza aberta, não conseguindo coloca-la de entre os postes, passou o perigo para o Cacém. A partir daqui a equipa forasteira começou a ganhar vantagem territorial e colocou-se no ataque. Só aos 14 minutos é que a nossa equipa chegou com perigo à área por intermédio de Hugo Dias num livre directo, o Guardião enviou para canto. No minuto 17 outra vez Hugo Dias atirou desta vez a bola para defesa do Guarda Redes. Aos 19 minutos Hélder Quental fez o 0-1 num remate colocado de fora da área sem hipóteses para o guardião Neno. Aos 31, golo anulado ao Cacém por alegado fora de jogo, em que o passe foi feito no lance em que o guardião saio com as mãos para apanhar a bola, largou-a tendo Ivan rematado para dentro da baliza, mas o senhor fiscal marcou fora de jogo!!! Acabou a primeira parte com sabor amargo. Na Segunda parte de registar que até ao golo do empate do Cacém não existiu nada de apreciar. No minuto 56 o golo da equipa da casa surgiu num livre muito bem marcado por Balão, e Matias de cabeça facturou. No minuto 65, 1-2 num penalty assinalado para o Fontainhas, num lance muito discutido pelos adeptos da equipa da casa, resultando um pouco mais tarde na expulsão do nosso treinador em que afirmou apenas a verdade: "Estamos a jogar com dez, o árbitro roubou-nos um penalty e ainda estão a perder tempo no chão". Ordem de expulsão após o fiscal de linha ter chamado o árbitro, no lance do penalty Arroja foi expulso também por palavras: "Sr. Fiscal a falta existe fora da área". Remédio santo Expulso após o mesmo fiscal ter chamado o árbitro!!!Aos 82 minutos, remate do avançado do Fontainhas a bola bate na trave e ressalta para a linha de golo. Mas a equipa é grande e com todas as controvérsias Balão consegue chegar à igualdade 2-2, após insistência de ataque da equipa da casa que não se cansou de ter sido prejudicada.

sábado, 21 de abril de 2007

Futsal - Vila Verde regressa à Primeira

O Vila Verde está de regresso ao convívio dos grandes em Futsal, após bater esta tarde o Amarense por 2-0 e beneficiando da derrota do JD Fontainhas em Tires. A equipa do Sporting de Vila Verde regressa assim ao campeonato da 1ª Divisão onde já fez história no passado, acompanhando o Sassoeiros que garantiu também a subida esta tarde.

Futsal - 3ª Divisão Nacional

O Rio de Mouro goleou ao principio da noite o Mira Sintra por 5-1, mantendo o 2º lugar que dá acesso à subida de divisão. A formação de Mira Sintra ficou de fora da corrida. Agora o Rio de Mouro tem apenas o Externato da Benedita como rival e que rival. Esta equipa hoje venceu o Atlético e está em igualdade pontual na segunda posição. Na última jornada os dois candidatos defrontam-se na Serra das Minas naquele que deverá ser o jogo decisivo. Na próxima jornada, o Rio de Mouro vai à Tapadinha defrontar o Atlético, enquanto o Externato recebe na Benedita, o Nadadouro.

Noticias - Cacém

O Defesa Bruno Andrade é a grande incógnita para o desafio contra o Alcochetense neste Domingo, por se ter lesionado no último treino, é possível a sua recuperação para o eixo da defesa, que conta com Paulo Jorge em dificuldades físicas. Já o médio Rui Alves está suspenso por uma partida, por "alegadamente" ter agredido um jogador do Sintrense.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Futebol - Ponto de Situação

Esta é a situação actual das equipas do nosso Concelho envolvidas em subidas e descidas:

SENIORES
2ª Divisão Nacional
Real lidera e luta pelo apuramento para o PlayOff

3ª Divisão Nacional
Cacém, Sintrense e 1º Dezembro lutam pela manutenção
Lourel em situação dificílima

Distritais - Divisão de Honra
Pêro Pinheiro e Montelavarenses lutam pela manutenção mas de forma desafogada

1ª Divisão
Cacém B luta pela subida
Agualva luta pela manutenção de forma desafogada

Nacional Feminino
1º Dezembro Campeão e finalista da Taça de Portugal (com Boavista)

JUNIORES
Divisão de Honra
Cacém a um ponto da manutenção

1ª Divisão
Mem Martins garantiu subida
Rio de Mouro, Lourel e Sintrense lutam pela subida
União das Mercês a uma vitória da manutenção

2ª Divisão
Pêro Pinheiro a uma vitória da subida
Mira Sintra a lutar pela subida
Mucifalense a lutar pelo 3º lugar (acesso ao PlayOff)

JUVENIS
Divisão de Honra
Mira Sintra em zona perigosa
Mem Martins em zona dificílima

1ª Divisão
União das Mercês a um ponto da manutenção

2ª Divisão
Agualva e Algueirão a lutarem pela subida

INICIADOS
1ª Divisão
Lourel garantiu a subida
1º Dezembro, Agualva e Rio de Mouro a lutarem pela subida
Arsenal 72 e União das Mercês garantiram descida

2ª Divisão
Pêro Pinheiro e Mucifalense lutam pela subida

Futsal - Ponto de Situação

Esta é a situação actual das equipas do nosso Concelho envolvidas em subidas e descidas:

SENIORES
2ª Divisão Nacional
Vila Verde a 4 pontos da 1ª Divisão
Santa Susana e Pobral a 2 pontos da manutenção

3ª Divisão Nacional
Rio de Mouro e Novos Talentos a lutarem pela subida
Mira Sintra a lutar pelo 4º lugar

Distritais - Divisão de Honra
Unidos do Cacém a lutar pela subida

1ª Divisão
Vila Saloia praticamente condenado à descida

2ª Divisão
Atlético do Cacém a lutar pela subida (5º lugar)

JUNIORES
1ª Divisão
JOMA terminou em 9º e garantiu manutenção

2ª Divisão
Unidos do Cacém lideram e lutam pela subida

3ª Divisão
Novos Talentos garantiram a subida

JUVENIS
1ª Divisão
Novos Talentos venceram e vão disputar a Taça Nacional

2ª Divisão
Vila Verde luta pela subida
Unidos do Cacém ainda em zona perigosa

INICIADOS
2ª Divisão
Shotokai de Queluz garantiu a subida
Núcleo de Sintra luta pela subida

3ª Divisão
Novos Talentos garantiram a subida
Vila Verde terminou em 19º lugar apenas com 3 equipas atrás de si

INFANTIS
2ª Divisão
Shotokai de Queluz luta pela subida

Futsal - Novos Talentos

Os Novos Talentos garantiram a subida à 2ª Divisão nas categorias de Iniciados e Juniores. Enquanto os Juvenis foram campeões de Lisboa e vão disputar a Taça Nacional. Parabéns ao clube sediado na Abelheira - Cacém.

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Novos Orgãos Sociais no Mira Sintra

No passado dia três tomaram posse os novos Orgãos Sociais do União Sport Clube de Mira Sintra para o Biénio 2007/2009. A Constituição da nova direcção é a seguinte:
Presidente: David Gordilho
Vice–Presidentes: Carlos de Assunção, José Luís Venâncio e José Nunes Afonso Secretário: Célia Regina Lopes
Tesoureiro: Carlos Louro
Tesoureiro–Adjunto: Luís Filipe Almeida
Vogais: José André Rodrigues, Isabel Maria Santos, João Catarino Belete e Bles Gomes

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Portugal Cup - 7ª Jornada

Decorreu no passado Sábado, em Trajouce a 7ª Jornada da Portugal Cup. As equipas do nosso concelho tiveram as seguintes prestações:

Minis
Carlos Manguito - Maristas 8-0

Pré-Escolas
Carlos Manguito - Lourel 3 - 2
Salesianos - Real 3 - 0

Escolas
Real - Grândola Foot 1 - 5
Salesianos - Lourel 5 - 2

Infantis
Tires - Real 8 - 1
Cascais - Lourel 1 - 5

As classificações completas podem ser consultadas nas tabelas LMO

FÓRUM

O SintraSport já tem Fórum e pode ser encontrado aqui. Apesar do blog ser apenas dedicado ao Futebol e ao Futsal, tem secções para todas as modalidades desportivas. Participem.

Cacém - Sintrense continuação

Segundo noticia da edição de hoje do jornal "A Bola", o Presidente do Atlético do Cacém, Fernando Lopes sente-se revoltado em relação às acusações feitas pelo Sintrense, que se mostrou indignado com o tratamento no Cacém. "É uma vergonhosa mentira. São mentirosos. Foram bem recebidos. Deviam preocupar-se com o facto de jogarem sem terem o treinador inscrito. Ainda ficaram mais perto do relvado do que nós. O Sintrense não merece os dirigentes que tem. Não estamos preocupados com a queixa que fizeram à FPF", afirmou Fernando Lopes.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Para todos os clubes e adeptos colaboradores

Agradecemos a todos os clubes e adeptos que têm colaborado connosco a fornecer-nos os resultados o mais rapidamente possível. Ao Cacém (através de dois adeptos e colaboradores), Rio de Mouro, Pêro Pinheiro, Agualva, Mira Sintra, FC Despertar, Mem Martins e ainda através dos seus sites oficiais ao Real e ao Sintrense que sem eles o SintraSport não teria já a importância que vai tendo. Agradecemos ainda à Junta de Freguesia de Rio de Mouro que nos fornece os resultados dentro das suas possibilidades do Núcleo de Sintra, Albarraque e Varge Mondar. A todos os outros clubes do Concelho que ainda não colaboram esperemos contar convosco em breve. Enviem-nos os resultados através do e-mail. Ajudem este blog a ser muito melhor e com informação mais rigorosa.

Futebol - Iniciados - 1ª Divisão

O Arsenal 72 foi despromovido a três jornadas do final do Campeonato Distrital da 1ª Divisão após ter sido goleado no Cacém por 5-1. A equipa de Mem Martins junta-se assim ao União Mercês já despromovido há mais tempo. Recorde-se que no mesmo escalão a equipa do Lourel já garantiu a subida e há mais três equipas do Concelho (1º Dezembro, Agualva e Rio de Mouro) a lutarem pelo o outro lugar que dá acesso à Divisão de Honra. Nessa Divisão não competiu nenhuma equipa do Concelho nesta época.

Distritais - Seniores

No Futebol, na Divisão de Honra o Pêro Pinheiro empatou em casa com o Sacavenense 2-2. Entrou a perder mas conseguiu dar a volta até aos 2-1, mas mesmo a terminar a equipa de Sacavém empatou. O Pêro Pinheiro garantiu assim a manutenção. Os Montelavarenses também ficaram perto de o conseguírem ao travarem no seu campo o candidato Loures com um empate a uma bola.
Na 1ª Divisão, Série 1, o Mucifalense que continua a fazer uma época tranquila, bateu o Livramento por 2-0. Na série 2, o Cacém B "passeou" na Pontinha e venceu o Cultural por 5-2 continuando a lutar pelas primeiras posições, o Mem Martins derrotou na Quinta do Recanto o SL Olivais por 3-2 e garantiu a permanência e finalmente o Agualva empatou com o Vitória de Lisboa no campo deste a zero.
Na 2ª Divisão, Série 2, o Império continua a saga das derrotas, e em Anços foi novamente derrotado, agora por 1-2 com o Prior Velho, mantendo assim a última posição. Na Série 3, o grande destaque vai para a primeira vitória do MTBA e logo na condição de visitante, no campo do Trajouce por 4-2, deixando assim a lanterna vermelha para o Outurela. O Algueirão empatou em casa com o Encarnação e Olivais por 2-2 e o Albarraque perdeu com o Talaíde por 1-2 na condição de visitado.

No Futsal, na Divisão de Honra, os Unidos do Cacém bateram em casa os Leões de Porto Salvo por 8-4, mantendo a segunda posição a seis pontos do líder Onze Unidos.
Na 1ª Divisão, Série 2, o JOMA bateu o Lupeca por 4-3 e o Vila Saloia voltou a perder, desta feita com o Rangel no terreno deste por 4-3. A equipa do Vila Saloia passou para a última posição por troca com o adversário do último jogo e muito dificilmente se salvará da descida.
Na 2ª divisão, arrancará no próximo fim de semana a segunda fase, com o Atlético do Cacém a jogar para o último lugar de subida, o quinto.

Futebol - Juniores

A equipa do Mem Martins garantiu a subida à Divisão de Honra da AFL ao bater o Sintrense por 2-1 e beneficiando da derrota do Lourel em Porto Salvo também por 2-1, a três jornadas do fim do campeonato. Rio de Mouro e Lourel mantêm a luta pela segunda posição que dá acesso também à subida de divisão.

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Futebol - 2ª Divisão Nacional

O Real voltou a empatar na Série D da 2ª Divisão Nacional. Apesar deste empate (o 3º consecutivo), a formação de Massamá mantém a liderança. No Barreiro, com um dos aflitos, o Real não foi além do 2-2, mas todos os seus concorrentes na luta pela subida empataram, ficando tudo na mesma com a diferença de faltar menos uma jornada. O Real tem agora 3 jogos para ganhar apesar do equilíbrio que existe entre quase todas as formações que disputam esta parte. Os próximos dois jogos são em casa, com Torreense e Messinense e na última jornada o adversário é o condenado Vendas Novas. Veremos se o Real chega então à desejada eliminatória com o vencedor da Série C (o Fátima é o líder apesar dos pontos perdidos nos últimos jogos).

Ainda o Cacém - Sintrense

Chegou-nos mais um crónica deste jogo escrita pelo Nuno Sinosgas do blog do Atlético do Cacém. (http://atleticodocacem.blogspot.com/)

Uma tarde quente adivinhava um derby regional quentinho, com duas equipas vizinhas longe de estarem descansadas na tabela classificada. Foi um jogo electrizante, impróprio para cardíacos, que aqueceu bem os corações dentro e fora das quatro linhas.
Apesar de entrar em campo com um meio campo muito povoado, com Afonso na extrema esquerda (num lugar pouco usual) e David ao meio, apoiando Rui Alves e com Hélder Clara em terrenos mais recuados, O Cacém não conseguiu segurar o meio campo e apesar de pertencer ao Cacém as primeiras oportunidades por Sílvio e Pedro Andrade, foi sem surpresa que o Sintrense chegou ao primeiro golo aos 8 minutos numa recarga de Angel na sequência de um canto. Três minutos volvidos novo golo do Sintrense numa rasteira de Paulo Jorge, penalty claro e Paulo Vieira marca o segundo do Sintrense com Cabral por pouco a não defender.
A partir daí sempre aos repelões o Cacém tentou virar o rumo ao jogo mas o futebol de pontapé para a frente não é característica desta equipa e o Sintrense esteve bem perto de marcar com Paulo Jorge em três ocasiões a oferecer o corpo á bola e a evitar males maiores. E aos 36 minutos um lance que poderia ter sido capital, Miguel Ângelo em lance teatral simula ter sido agredido por Rui Alves e Pedro Mansinho expulsa injustamente o jogador do Cacém. A jogar com menos um jogador e a perder por 2-0, Luis João lança a cartada decisiva, tira Paulo Jorge e faz entrar o experiente Fragata, o qual veio dar consistência não só á defesa como ao meio campo, empurrando a equipa para a frente. E finalmente o Cacém reduz por Pedro Andrade de recarga a um remate do mesmo a um minuto do intervalo. A segunda parte começou praticamente com a igualdade do At. Cacém, novamente por Pedro Andrade, que efectuou uma bela exibição calando algumas bocas, de alguns velhos do Restelo que vão para os jogos apenas para falar mal. Com menos um homem em campo, Luis João aposta no veterano Renato que substitui um Casquinha lutador que nunca teve a bola em condições e em Bruno Andrade para o lugar do disinspirado Afonso. Com a bola no solo o Cacém encontrou-se e Renato e Sílvio com remates de fora da área criaram duas boas oportunidades. Entretanto artista do jogo, Miguel Ângelo do Sintrense demonstra mais uma faceta além da falta de fair play, mostra como é mal educado apresentando o dedo do meio aos sócios do Cacém. Imitando o seu colega Jorge Bento que já tinha respondido em modos menos próprios aos sócios do Cacém. Situação que não prestigia a colectividade Sintrense. O Sintrense muito bem organizado pelo seu experiente treinador e salvador Pedro Gomes, nunca desistiu de procurar a vitória e Maquemba aos 89 minutos de recarga marca o 3-2. Após o golo Jorge Bento e Miguel Ângelo decidem trocar os festejos com o seu colega por uma dança provocatória em frente aos sócios do Cacém, um conselho aos dois, não repitam isto por muitas mais vezes pois em outros campos podem se dar mal.
Chegou então a hora de São Renato que ao tentar driblar dois adversários dentro da área é derrubado. Frio e experiente Renato factura e empata o jogo ao minuto 92. Nos últimos minutos tanto Cacém como Sintrense dividiram ainda oportunidades até ao apito final de Pedro Mansinho. O resultado final premeia um Cacém batalhador que nunca desistiu frente a um Sintrense que apresentou no Joaquim Vieira uma das melhores equipas desta Série não merecendo o lugar em que se encontra, de certeza fruto do mestre Pedro Gomes. A arbitragem de Pedro Mansinho de Évora fica manchada pela amostragem do cartão vermelho a Rui Alves, sendo iludido pelo show de Miguel Ângelo. Esteve bem no capítulo disciplinar, à excepção desse lance, e na apreciação nos 2 lances de grande penalidade. Uma última palavra para o público que encheu o Campo Joaquim Vieira, tanto do Sintrense como do Cacém que foram incansáveis no apoio às respectivas equipas. Em especial aos sócios do Cacém que sempre acreditaram e levaram os seus jogadores a acreditar e a serem o que são e hoje demonstraram uns verdadeiros BRAVOS.

Seniores - Nacional - 3ª Divisão - Série E

Cacém 3 - 3 Sintrense






Texto e foto: Nuno Gaspar
http://accacem.planetaclix.pt

Numa tarde primaveril o nosso Atlético do Cacém conquistou mais um precioso ponto para o pecúlio do sempre difícil campeonato da 3ª Divisão. O novo treinador do Cacém (Luís João) montou uma equipa para vencer o jogo, mas... O jogo começou com as equipas a entrarem algo nervosas pois precisavam (e precisam) muito de pontos. Aos 4 minutos remate de Silvio após passe de calcanhar de Pedro Andrade, que hoje foi sem dúvida o jogador pérola.Aos 5 minutos Pedro Andrade remata muito perto do poste e logo a seguir Paulo Cabral, que hoje também esteve no plano que nos tem vindo a habituar, efectuou uma excelente defesa. Tendo a partir deste lance a equipa forasteira chegado ao 0-2 sem ter feito algo que merecesse! ao minuto 8 num canto o Sintrense chega ao 1-0 e ao minuto 11 penalty, num lance que Paulo Jorge rasteira o avançado do Sintrense, em que a equipa visitante chega ao 0-2, Paulo Cabral lança-se para o lado correcto mas escorrega na falta de relva. O Cacém a partir deste momento passava por grandes dificuldades de colectivo, parecendo não ter mentalmente soluções para a crise vivida, mas os nossos jogadores são grandes homens e passaram por cima de todas as adversidades, carregando também a opção do Sr. Arbitro que expulsou não sei bem porquê o nosso Rui Alves. Depois da tempestade vem a bonança e o Fragata, a nossa equipa caio para cima do adversário e aos 45 minutos chega ao golo por Pedro Andrade num remate de ressaca já dentro da pequena área.
Começando a Segunda parte a nossa equipa chega ao empate por Pedro Andrade noutro remate também dentro da pequena área para galgo dos apoiantes da nossa equipa (que hoje se portaram muito bem apoiando a nossa equipa até ao fim), a partir daqui o Sintrense foi atrás do prejuízo tendo agarrado a organização de jogo fazendo o nosso guardião excelentes defesas. O nosso treinador fez entrar Renato para o lugar de Casquinha e Bruno Andrade para o lugar de Afonso. Renato ao minuto 67 efectuou um remate de primeira de fora da área para uma defesa do guardião para a frente e Pedro Andrade viu o bola passar-lhe á sua frente, não conseguindo concretizar em golo, mas no minuto 89 Maquemba mais uma vez num canto fez o 2-3 ficando no ar um resultado de indignação pois a nossa equipa perdia no seu reduto, tendo Renato feito uma jogada de profundidade entrando na grande área e foi rasteirado por um defesa, concretizando o penalty que foi assinalado fazendo o 3-3, que persistiu até ao fim.
Assim os nossos jogadores estão de parabéns pela entrega ao jogo que realizaram mesmo com todas as contrariedades.

Extracto retirado do Site do Sport União Sintrense (http://susintrense.pt/):

Derby é sempre derby. Cacém e Sintrense, proporcionaram ao muito público presente no Joaquim Veira, um espectáculo emotivo e com resultado imprevísivel até ao final da partida. Uma palavra para a Direcção do Cacém, que “recebeu simpatiquisimamente” a comitiva do Sport União Sintrense, “retribuindo” o encontro da primeira volta, onde a Direcção do Sintrense, ofereceu um lanche na Tribuna de Honra do nosso Estádio aos dirigentes do Cacém. Desta vez, foi a direcção do Cacém “que se esmerou” e “ofereceu” ao nosso clube, as velhinhas cabines que se encontram junto ao pequeno campo sintético, que embora sem casa de banho interior, se encontravam asseadinhas. Os nossos jogadores tiveram assim a necessidade de passar pelo meio do público, para se deslocarem para o campo principal. A justificação para que o Sport União Sintrense não utilizasse as cabines principais do Joaquim Vieira, e segundo um dirigente da casa, foi o facto de uma “caldeira ter rebentado e a cabine destinada aos visitantes se encontrar fedorenta”. A direcção do Sport União Sintrense registou e anotou a atenção dispensada pela sua congénere do Cacém.
Mas como já dissémos, foi uma partida emotiva. O Sintrense entrou muito bem na partida, muito rápido sobre a bola, e apostando na velocidade nas alas, para tentar surpreender a equipa da casa. Sob a batuta de Paulo Vieira na distribuição de jogo ofensivo, Maquemba, Zeca e Paulino, bem secundados pela velocidade de Diogo Almeida, e a tenacidade de Miguel Ângelo, colocaram em sentido os homens da casa. Com esta entrada fulgurante do Sintrense, não foi de admirar, que aos 8 minutos, Angel, muito oportuno, e na sequência de uma jogada de insistência, chegasse ao primeiro golo da partida. Muita apoiada pelos seus adeptos (em grande número no Cacém), a equipa do Sintrense não baixou os braços, e continuou a insistir em toada ofensiva. Aos 11 minutos depois, a velocidade de Maquemba a entrar na área adversária, obrigou a que um defensor da casa, à margem das leis, fizesse falta já dentro da área de rigor. Penalty claro, que Paulo Vieira aproveitou para marcar o segundo golo do Sintrense. Com 2-0 a favor do Sintrense, e da maneira como estava a decorrer o jogo, esperavam-se mais golos do Sintrense. Na realidade, aos 16 minutos, Zeca remata, com a bola a passar junto ao poste da baliza de Cabral com este já batido. Aos 21 minutos, é Maquemba que remata para golo, com a bola a embater nas pernas de um defensor da casa, quase em cima da linda de golo. Na recarga, Paulo Vieira remata, com a bola a passar novamente ao lado. O Cacém pouco atacava, e era o Sintrense que estava a dominar em toda a linha. Aos 27 minutos, Maquemba entra pela esquerda, cruza já dentro da àrea, e tanto Zeca como Paulino falham o golo, para desespero dos adeptos sintrenses. Esperava-se o terceiro golo, nesta altura, mais que merecido por parte dos homens do Sintrense, ao ataque e com Paulo a ser um mero espectador da partida. Aos 32 minutos, Rui Alves decide agredir Miguel Ângelo sem bola, e vê ordem de expulsão dada pelo àrbitro, Pedro Mansinho. Os homens do Cacém não se entendiam nas marcações e viam constantemente o perigo à sua frente. Aos 35 minutos, mais uma jogada de grande perigo na àrea do Cacém, com uma sequência infernal de remates contra as pernas dos jogadores da casa, e com a bola teimosamente a não entrar. O 2-0 era um resultado já muito curto para o Sintrense, tal a avalanche ofensiva da equipa, se bem que, e em termos de finalização, a equipa não estava a corresponder às inúmeras oportunidades criadas. Bem vistas as coisas, e a existir justiça no marcador, mais dois ou três golos para o Sintrense, não era mentira nenhuma. Na primeira vez que o Cacém vai com perigo à àrea do Sintrense, faz golo. Mesmo em cima do intervalo, Pedro Andrade ( o melhor jogador do Cacém), faz tudo bem feito, e numa triangulação perfeita com os seus companheiros da frente, isola-se e faz o 1-2, resultado com que se atingiu o intervalo. Um resultado injusto, já que de uma possível goleada, o Sintrense via-se a vencer pela margem mínima.
Para a segunda parte, Pedro Gomes, opta por colocar em campo Jorge Bento, em detrimento de Zeca. Uma aposta feita na rapidez de execução que possui Jorge Bento, e no factor surpresa, já que abria mais a frente de ataque, e libertava mais Maquemba para outras àreas do terreno de jogo, apostando na sua velocidade. Mas o Cacém, com toda a sorte do jogo pelo seu lado, na primeira jogada da 2ª parte, faz o empate. Balde de água fria para o Sintrense, que poderia ter arrumado com o jogo ainda na primeira parte, e via-se agora numa situação de empate.
Este golo apanhou o Sintrense a frio, e a equipa demorou a recuperar deste lance. Os 20 minutos seguintes foram de mais intensidade por parte dos homens da casa, com Pedro Andrade a ser um quebra cabeças para a defensiva do Sintrense, embora Angel estivesse sempre muito atento, bem assim como a restante defensiva do Sintrense, já que o jogo ofensivo do Cacém passava todo por este homem. Um remate de Sílvio, aos 19 minutos desta 2ª parte, levava o selo de golo, mas a bola, caprichosamente, passou ao lado. Só a partir dos 20 minutos da segunda parte, o Sintrense conseguiu novamente pegar no jogo e ir à procura do prejuízo. Maquemba era um quebra cabeças constante para a defensiva do Cacém e a sua rapidez de execução causava alguns embaraços no último reduto adversário. Com a partida a caminhar para o final, surge o terceiro golo do Sintrense, aos 87 minutos. Numa jogada rápida, movimentos ofensivos perfeitos, e Maquemba a aproveitar para na cara de Cabral, fazer o terceiro golo para o Sintrense. A três minutos dos noventa, pensava-se que a vitória não fugiria ao Sintrense mas mesmo em cima do minuto 90, Renato “desencanta um penalty milagroso”, que enganou o próprio árbitro, Pedro Mansinho. O lance é simples, o atacante do Cacém “força” a passagem pelo meio de dois defensores do Sintrense, e aparece estatelado no terreno de jogo, quando apenas a bola é jogada. Enganado pelo aparato de Renato, Pedro Mansinho marca penalty, para desespero de toda a equipa do Sintrense e do próprio banco, que não aceitou esta decisão do àrbitro. Chamado a converter, Renato faz o empate a 3 golos, dando ao placard um colorido injusto à partida, onde só uma equipa mereceu vencer, que foi a do Sintrense, que na primeira parte, tudo fez para marcar, além dos dois golos que marcou, mais outros dois ou três. Um resultado falso como Judas.
Mas a equipa está de parabéns. Perante todas as adversidades que encontrou nesta ida ao Cacém, bateu-se bem, lutou muito, foi guerreira e solidária, jogou bem, é certo que pecou na finalização, mas deu a todos uma resposta verdadeira do que é que poderá fazer até final do campeonato. Estão de parabéns os nossos jogadores pelo que demonstraram no Campo Joaquim Vieira, dizendo de peito aberto, que todos podem contar com eles.
Quanto ao árbitro Pedro Mansinho, foi enganado no lance do penalty, e não fosse isso, teria sido uma arbitragem perfeitíssima, bem secundado pelos seus assistentes, sempre muito atentos.

Futebol - 3ª Divisão Nacional

Destaque nesta jornada para o Lourel que goleou o Alcochetense, candidato à subida, por 5-0. Uma vitória que não fez o Lourel subir na classificação continuando no último lugar. O 1º Dezembro teve uma vitória importantíssima ao vencer o Cartaxo por 3-1. Ainda está abaixo da linha de água mas com todas as possibilidades de conseguir a manutenção. No Cacém houve derby e marcado pela polémica. Na 1ª volta o Presidente do Cacém teve alguns problemas e agora o Sintrense queixou-se que foi colocado num balneário sem condições. Polémicas à parte, o jogo rendeu 6 golos e um empate a 3 bolas. Depois do Sintrense ter chegado aos 2-0, o Cacém conseguiu a recuperação, e o jogo acabaria com uma grande penalidade a favor dos da casa muito contestada pelos visitantes. No próximo post faremos a comparação do derby visto pelos dois lados. Pelo ponto de vista do nosso colaborador e adepto do Cacém, Nuno Gaspar e pelo ponto de vista do Sintrense, numa crónica publicada no site destes. O Cacém respira nos lugares da manutenção, enquanto o Sintrense está longe de conseguir o mesmo, pois tem o Montijo e o 1º Dezembro logo atrás.

Futsal - 2ª Divisão Nacional

O Vila Verde está a 4 pontos do regresso à primeira divisão, depois de bater o Amarense fora por 5-4. A formação "sportinguista" tem como adversários nas últimas 3 jornadas, o 1º Maio do Barreiro e Moinho Juventude em casa e o Ereira e Benfica fora, tudo equipas bem acessíveis. O Santa Susana e Pobral foi derrotada no Barreiro pelo 1º Maio e ocupa a 8ª posição.

Futsal - 3ª Divisão Nacional

O Rio de Mouro ascendeu ao 2º lugar da Série C da 3ª Divisão Nacional de Futsal. A equipa sintrense empatou em Sacavém a duas bolas mas beneficiou da derrota do Externato da Benedita em Mira Sintra. O 2º lugar dá acesso ao segundo escalão. A formação do RRM fez uma recuperação notável na 2ª volta (terminou a primeira volta em 7º) podendo sonhar com a subida. Nos últimos 3 jogos vai defrontar Mira Sintra em casa, Atlético fora e o Externato da Benedita na Serra das Minas no jogo que poderá decidir tudo. Recorde-se que na 1ª volta a formação do RRM venceu na Benedita por 6-4. Os Novos Talentos que empataram com a Casa do Benfica de Penamacor também ainda pode chegar ao segundo lugar.

quarta-feira, 11 de abril de 2007

Novo treinador do Cacém

Luís João, que treinava os Juniores passou a ser o treinador principal do plantel principal, sucedendo a Pedro Valido.

Luís João já orientou a equipa com o Oriental (da bancada, porque devido à quadra pascal, a situação não estava ainda resolvida na Federação).

António José será o treinador adjunto.

Noticia SintraVox

Torneios da Páscoa

Realizaram-se no passado fim-de-semana vários torneios aproveitando a paragem nos campeonatos devido às férias da Páscoa. Ficam aqui alguns resultados que envolveram equipas de Sintra nesses mesmos torneios:

Torneio dos Olivais
Iniciados
SL Olivais 3 - Sintrense 1
Atlético 2 - Sintrense 0

O Sintrense ficou na última posição.

Juvenis
Real 2 - Oeiras 1
SL Olivais 1 - Real 0

O Real ficou em 2º lugar

Torneio da Alta de Lisboa
Juniores
Alta de Lisboa 2 - Sintrense 1
Odivelas 3 - Sintrense 3 (4-2 g.p.)

O Sintrense ficou na última posição.

Torneio do Mafra
Infantis
Mafra 5 - Cacém 1
Torreense 4 - Cacém 0
Carregado 1 - Cacém 2

O Cacém ficou em 5º lugar.

Torneio da Ericeira
Iniciados
Torreense 3 - Cacém 0
Encarnacense 1 - Cacém 1 (6-5 g.p.)

O Cacém ficou na última posição.

domingo, 8 de abril de 2007

Seniores - Nacional - 3ª Divisão - Série E

Oriental 1 - 1 Cacém

Texto e fotos: Nuno Gaspar
http://accacem.planetaclix.pt


Em tarde de Aleluia Pascal, salvou-se o golo do incansável Renato. Foi um jogo de "Futebol" muito pobrezinho em que a equipa da casa o Oriental não mostro o verdadeiro futebol do quarto classificado e que a equipa forasteira depois da tempestade a que tem vindo ultrapassar mostrou que também não está no seu auge. A bola saiu do Cacém, mas Leitão hoje também não esteve nos seus dias como toda a maioria da equipa do Cacém, deixou o lance se perder pela linha lateral. A equipa da casa partiu para cima do nosso Cacém e nos primeiros dez minutos teve muitas ocasiões de golo uma das quais a bola embateu na base da barra resvalando para baixo e para uma apertada jogada para a nossa defesa. Aos 12 minutos o Cacém parecia querer pegar no jogo, mas foi sol de pouca dura. Tendo Pedro Andrade e Leitão estado em evidência pelos flancos, tendo aos 19 minutos a equipa da casa marcado pela primeira vez num remate sem hipóteses para o nosso guardião Cabral, que viu encaixar um golo muito parecido com o que sofreu em casa frente ao Santana. Desde o golo e até ao intervalo ambas as equipas passaram muito tempo no pontapé para o ar tendo mesmo Cacém eclipsado todo o seu jogo, não sabendo às vezes como se movimentar em campo. Antes do intervalo o nosso novo treinador que hoje ainda não pode se sentar no banco colocou Renato no lugar de Leitão abrindo a frente de ataque. Surgindo nos últimos minutos de jogo Paulo Cabral a safar algumas jogadas de perigo. A Segunda parte começou como acabou a primeira com a equipa da casa a pressionar e aos 52 minutos mais uma boa defesa de Cabral e logo a seguir Hélder Clara talvez o melhor jogador hoje, num remate de livre directo, colocou perigo na baliza adversária, tendo o guardião efectuado uma defesa pouco ortodoxa em "pontapé !!!"mas o que interessa é que defendeu. No minuto 57 bola na barra da baliza à guarda de Cabral. Continua o futebol aos repelões, atirando-se os jogadores a simular penalties e remates à frente do guardião que passam muito ao lado. Com a entrada de Afonso o Cacém parece finalmente agarrar o meio campo tendo começado a ganhar protagonismo no jogo, tendo Cabral efectuado mais uma excelente defesa num lance em que o árbitro não marcou fora de jogo, mas esteve exemplar em toda a partida, só errando no final da partida quando começou a mostrar demasiados amarelos. A equipa forasteira fez entrar Fragata para o lugar de Pedro Jorge que saiu tocado, ficando a jogar com três defesas e no culminar de alguma pressão para o fim do jogo, primeiro foi um cabeceamento de Casquinha e finalmente aos 85 minutos, numa das poucas jogadas com cabeça Renato é rasteirado dentro da grande área, o árbitro assinala tendo Renato convertido o castigo máximo no 1-1. As equipas distribuíram um pontinho para cada qual, mas no final se o Atlético do Cacém tivesse um pouco mais de sorte chegaria à vitória.



Real novo empate

O Real cedeu novo empate, desta feita em casa frente ao Abrantes sem golos. A formação de Massmá mantém a liderança mas tem o Atlético (venceu o Imortal na Tapadinha por 3-0) e o Louletano (empate caseiro a zero com Rio Maior) a apenas um ponto. O Odivelas que não foi além de um empate a uma bola em casa com o Eléctrico está 2 pontos e o Mafra está a 5 pontos após vencer por 3-1 o Messinense. Faltam apenas 4 jogos para terminar a primeira fase da prova.

sexta-feira, 6 de abril de 2007

Torneio Nike - 2ª Fase

A equipa do Real foi eliminada, esta manhã, nos quartos de final do Torneio Nike 2007 pelo Boavista por 2-0. Sporting, Porto, Boavista e Belenenses são as equipas que vão disputar esta tarde as meias finais. A final disputa-se ainda hoje.