Google
 

domingo, 25 de novembro de 2007

Juniores / Lourinhanense - Sintrense

por Gabriel Matos, Jorge Cardoso e Luís Proença (Sintrense)


2-0

Se muitos encaravam a tarefa desta tarde como uma missão impossivel face ao valor do adversário , às condições do pelado e sobretudo face às ausências forçadas de alguns dos melhores elementos da equipa, a verdade é que apesar do resultado negativo, todos os que estiveram nesta tarde fria na Lourinhã puderam assistir a uma das melhores exibições do Sintrense esta temporada. Efectivamente foi impressão unânime entre adeptos lourinhanenses e sintrenses que este foi o melhor jogo a que ali se assistiu até à data, tendo o jogo do Sintrense merecido rasgados elogios de todos que presenciaram o jogo.
Apesar das baixas de Bebeto , Parente , Cerqueira e Roque, e com Carlitos em missão de sacrificio limitado pelas dores provocadas pelas bolhas nos pés, o Sintrense entrou no jogo muito personalizado com uma equipa de feição ofensiva com três homens na frente apostados em causar problemas ao último reduto local.
Com Duarte Matos em grande plano (portentosa exibição de raça, querer e determinação) e com as principais peças do Lourinhanense controladas, assistia-se a uma partida controlada pelos visitantes que a pouco e pouco iam remetendo o seu adversário para tarefas estritamente defensivas. Contudo e como o futebol não é rico em lógica, pelos 20 minutos e contra a corrente do jogo a equipa da casa chega à vantagem. Falta sobre a meia esquerda do meio campo sintrense.
A bola foi cruzada longa para as costas da defesa sintrense , tendo aparecido o capitão da equipa da casa , vindo de trás a encher o pé rematando de primeira sem hipótese para Pacheco. Um grande golo em qualquer estádio do mundo e que premiava uma equipa que até ali não criara uma única situação de golo.
A partir do golo assistiu-se a uma extraordinária reacção do Sintrense que até ao intervalo exerceu um dominio total sobra o jogo, chegando a estar minutos e minutos a fio a pressionar o adversário no seu meio campo sem que este conseguisse sequer levar o jogo ao meio campo sintrense.
Com um futebol bonito, a toda a largura do campo e com uma determinação notável, o Sintrense criava perigo na área adversária, acabando por não marcar fruto de alguma parcimónia no momento do remate. Nesse período regista-se uma grande oportunidade desperdiçada por Rijo (mais uma excelente exibição na tarde de ontem) que na pequena áerea acabou por rematar por cima do travessão.
Para a segunda parte o Lourinhanense entrou apostado em inverter a situação , passando a apostar em lances individuais para tentar desequilibrar a situação. A verdade é que logrou empurrar o Sintrense para o seu meio campo e criar alguma pressão sobre a grande área visitante.
Foi assim que logo aos 62 minutos chega o 2-0. A bola a circular na largura do campo à frente da grande área do Sintrense com os jogadores da casa a procurarem a penetração na grande área. Na sequência desse movimento um jogador da casa acaba por desferir um remate seco e forte disparado rente ao poste esquerdo de Pacheco obtendo o 2º golo.
O Sintrense arriscou então tudo. Passou a jogar com três centrais, com Ruben a subir ao meio campo. Entrou Pinguito para alargar a frente de ataque. O Sintrense voltou a empurrar o adversário para o seu meio campo. Aos 73 minutos Rui Barroso num excelente lance individual isolou-se mas permitiu a defesa do guarda redes. Aos 80 Carlitos ganhou nas costas dos centrais isolando frente ao guarda redes local mas o chapéu sai comprido de mais.
Aos 86 Rijo cabeceou à figura do guarda redes dentro da pequena área. Os minutos finais terminaram com o público da casa a pedir insistentemente ao árbitro de acabasse o jogo tal a pressão a que a sua equipa estava sujeita.
Quanto à arbitragem não vale a pena quase comentar. Que mal terá feito o Sintrense aos árbitros. O auxiliar do lado dos bancos fechou sistematicamente os olhos a todas as faltas cometidas contra jogadores do Sintrense. Ainda na primeira parte o árbitro , em cima do lance, não puniu com o respectivo penalty uma mão clamorosa de um jogador local dentro da grande área num lance que mais parecia de handball. O árbitro assinalou tudo que havia a assinalar contra o Sintrense, mesmo uma mão involuntária de Teixeira (grande estreia nesta tarde) numa dualidade de critérios gritante. Enfim.
Para a semana regressam Bebeto e Roque aumentando o leque de opções, aguardando-se a evolução positiva das situações clínicas de Roque e Parente. Para já o Sintrense tem ainda os lugares de subida à vista e a jogar como o fez hoje e com a atitude que demonstrou só temos razões para estar optimistas e orgulhosos dos nossos jogadores.
O nosso muito obrigado a todos os pais que asseguraram o transporte da equipa para a Lourinhã e ao nosso Chiquinho que providenciou um almoço para toda a comitiva. Um nosso muito obrigado ao Vice Presidente do Lourinhanense que ofereceu o almoço à nossa comitiva e nos presenteou com grande hospitalidade e amabilidade. Bem Haja.

Um comentário:

Tiago disse...

Jogo interessante. Na minha opinião o jogo foi bastante mais equilibrado do que a crónica faz parecer, de qualquer forma os jovens de Sintra também estiveram bem.
Parabéns pelo blog, continuação de bom trabalho.